Socorro Lima Dantas

 

 

 

Aquela menina tinha o hobby de colecionar borboletas. Todos os dias ela acordava pensando na hora do seu encontro com as suas amiguinhas preferidas.

Todos os dias, ao cair da tarde, aquela menina escapava dos olhos de sua mãe e ia ao encontro do seu desejo: procurar borboletas.

Debaixo do braço, carregava o seu “caderninho de borboletas”, onde reunia uma de cada cor, cuidadosamente colocadas no meio de cada folha, com as asas abertas.

Naquele dia, diante do seu jardim, passeando entre as flores perfumadas, ficou maravilhada ao avistar as mais lindas borboletas que os seus olhos já tinham divisado.  Era o cenário perfeito para a sua expedição, pois ela não imaginava encontrar tanta beleza naquela tarde.

Fascinada, diante do encanto de tantas asas coloridas a voar para lá e para cá, sentou-se no chão, parou o olhar para visualizar aquele cenário que lhe parecia um conto de fadas. Foi quando, sem esperar, em suas mãos pousou  uma linda borboleta vermelha. Era tudo o que ela queria encontrar naquele dia para a sua coleção. A menina não teve dúvidas: fixou seu olhar na borboleta, fechou os dedos entre as suas asas, segurou firme, abriu o caderninho, e com muito cuidado encontrou a página para colocar a sua borboleta. A mais bonita que já tinha encontrado em toda a sua aventura.

Antes de fechar a folha do seu caderno, saudou com alegria a sua borboleta preferida: “Olá borboleta linda, eu sou Luana, mas pode me chamar de Lua, como a minha avó me chama desde que eu nasci, porque cheguei a sua vida numa linda noite de lua; A partir de agora, você fará parte da minha vida e estará sempre em meus sonhos.”.

Na verdade, aquela menina imaginava que, tendo as borboletas entre as folhas do seu “caderninho de borboletas” – seu companheiro inseparável, todas as noites elas sairiam  do caderninho e voariam em seu quarto para lhe fazer companhia e fazer parte dos seus sonhos.

Naquela noite especial, antes de deitar, ela foi até seu caderninho para fitar mais uma vez a sua nova borboleta que conseguiu conquistar o seu coração. Ela estava lá ! Pronto, já poderia ir dormir e sonhar.

Vestiu  a sua camisola de sua cor predileta, de um vermelho esvoaçante, deitou a cabeça no travesseiro e adormeceu sorrindo. O sorriso em seus lábios permaneceu por muito  tempo, o suficiente para ela sentir as borboletas voarem por todo o seu quarto, e as vezes em círculo, próximo ao seu rosto. A sua borboleta preferida ficou o tempo todo ao seu lado,  pousada entre suas cobertas, batendo as asas de felicidade.

O que importava àquela menina era ser feliz e viver a sua felicidade a todo o custo. E como a sua felicidade estava em sonhar com as suas borboletas, então ela vivia intensamente o seu sonho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright © 2007
Fragmentos dos Meus Sonhos  - Socorro Lima Dantas
Todos os direitos reservados
Publicado: 13.01.2007  -  Última atualização:  06.07.2013