Prêmio de Participação

 

 

 

PARTICIPANTES:

 

Socorro Lima Dantas
Jorge Linhaça
Yara Nazaré
Luiza Benício
Ana Teresinha Drumond Machado

 

 

 

 

SEREI POETA ?
Socorro Lima Dantas
 


Procuro a palavra correta,
não encontro !
improviso a escrita.
Surge uma letra, uma sílaba, uma frase!
Fico quieta... calada...
retoco a rasura,
começo tudo outra vez...
Serei poeta ?

 

Ergo o pensamento que me afeta,
imagino o meu jardim...
local onde encontro a criação !
Observo cada flor plantada...
resolvo colher a mais colorida e brilhante !
e com a sua cumplicidade,
retorno à escrita !
Revejo todas as palavras,
mas não consigo encerrar...
Serei poeta ?


Calo-me,
quando deveria falar a palavra certa !
reduzo-as em silêncio.
Tento uma vez..... outra vez !....
Estou confusa.... despedaço o papel...
Recomeço mais uma vez...
Serei poeta ?


Descrevo a alma,
algo me cerca !
conto do amor
da dor
da alegria
da tristeza
os obstáculos
os improvisos.
Conto os sentidos...
encerro tudo,
guardo os escritos...
nem sempre consigo !
Hoje,
o dia rasgou a inspiração da minha alma !
Serei poeta ?


Embalada pelo aroma de uma rosa,
a minha arma secreta,
confidencio os meus segredos,
partilho meus medos...
Eis a inspiração!
Serei poeta ?




SEREI POETA ??
Jorge Linhaça


 

Quando a alma derramo,
em versos esmiuçados:
ou, em versos quebrados,
o que penso esparramo,
serei eu, um tresloucado?
sou poeta ou um engano?

Se ao longo de mil anos,
minh' alma se desperta,
e minha musa predileta,
perdeu-se nos altiplanos,
Serei eu um poeta...
ou cantor dos desenganos?

Se a alegria é concreta,
coloridos são os panos,
e os meus versos inflamo,
fazendo das curvas retas,
e das serras um plano,
Serei eu, hoje, um poeta?





E POETA SOU?
(Yara Nazaré)


Se sou poeta?
Dizem que sou!
Podem me chamar de louca
Pois de tanta alegria,
Demente assim, eu sou...

Se olho para o firmamento
Vejo idéias no meu rumo a brilhar
Atrás delas sigo correndo...
E é claro que quando consigo
Tento cada uma alcançar.

Se assumo a forma de poeta
Dizem que poeta eu sou
E alguns dizem sorrindo
Que uma artista eu sou.

Se sou... ainda não sei
Mas tranqüila vou seguir
Na minha grande vontade
De aprender para fazer...

Seguir no meu caminho
Perseguir o meu destino
Espalhar muita alegria
Aqui e aonde eu for!

(Yara Nazaré-2003)





SER POETA
Luiza Benício


É ter no coração o dom de amar
É transmitir este amor no seu viver!
Saber sentir para escrever em versos
A dor de alguém ou a sua própria dor

É conciliar com palavras de carinho
Um turbilhão que se insurja de repente
Entre dois lados que ensurdecem de repente
E ameaçam a paz no coração!

É dar exemplo de carinho e proteção
Sem arrogância que leve a desunir
Mas que convença as partes inflamadas
Pensar melhor no seu modo de agir!

É ver um errado e sugerir um certo
Sem todavia impor seu desagravo
É dar exemplo daquilo que carece
De ser revisto para o bem da humanidade!



Balada Poética
Ana Teresinha Drumond Machado


 

Cada flor
No canteiro certo.

Cada pássaro,
No ninho certo.

Cada palavra,
No lugar certo.

Cada ritmo,
No tempo certo.

Cada poema,
No recanto certo.

Cada estro
No calibre certo.

É só um pretexto
para dizer que sou poeta
no versejar certo
ou mesmo incerto
na emoção, na transpiração,
(inda) na impelida verdade.

Alvinópolis/MG



 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright © 2007, Socorro Lima Dantas - Todos os direitos reservados
Publicado: 13.01.2007  Última atualização:  31.10.2012

Webdesigner:  Sonia Orsiolli