Socorro Lima Dantas

 

 

Ah !  passado amado,

por que me obrigas a lembrar de ti ?

Quantas lembranças guardadas...

saudades do meu amado,

das festinhas com o rostinho colado,

do abraço tímido... quase não dado !

Do beijo proibido,

daqueles tempos idos.

Onde estarão os meus ídolos ?

 

 

Como vivi intensamente aquela estação !

Tudo era motivo de um sorriso...

alegria... felicidade...

Que bons momentos aqueles !

As minhas paqueras ingênuas,

as festas de assustados com os amigos,

as músicas mais tocadas eram aquelas...

Todas as que agitassem os nossos corações sonhadores.

 

 

Ah, minhas músicas prediletas !

Já estavam separadas ao lado do som,

aguardando a vez para serem tocadas:

os Beatles, Renato e Seus Blue Caps,

Os hits da Jovem Guarda,

meu ídolo primeiro Roberto Carlos,

O meu amigo Erasmo Carlos (o Tremendão)

e a minha maninha Wanderleia (a Ternurinha) !

Sem eles, nada de festa !

 

 

Quantas lágrimas tolas derramadas por “decepções sofridas”

das mais belas imaginações da vida,

ah, como era bom aquele tempo !

 

 

Foram tantos momentos de ventura !

Das desventuras sofridas,

do amor não correspondido,

das rosas esquecidas,

da paixão arrancada do peito.

Do laço de fita no cabelo,

da saia plissada,

e dos vestidos vermelhos !

Sempre predominando a cor do fogo...

a mamãe já sabia da minha cor predileta !

Das peraltices ocultas !...

O papai e a mamãe nada sabiam...

e, naquela proibição,

eu só desejava viver e sonhar,

restava-me esta aspiração...

bem escondidinha...

Como vivi aquela época profundamente !

 

 

Ah, tempo que não volta mais !

saudades da falta de preocupação,

saudades do passado longínquo,

saudades da saudade !

que me força a lembrar

passado distante.

Quanta saudade !...

Saudades de meu sonhar !

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright © 2007, Socorro Lima Dantas - Todos os direitos reservados.
Publicado: 13.01.2007  Última atualização:  30.10.2010

Webdesigner:  Sonia Orsiolli